Vitela?

A carne de vitela nunca me convenceu. Sempre a achei muito dura para o meu gosto ou então não a sabia cozinhar... Contam-se pelos dedos de uma mão os restaurantes onde a como e a verdade seja dita ainda não me deixaram ficar mal! Para esta receita precisa de um pedaço de lombo e certo cuidado ao cozinhar para que a carne fique no ponto. A partir daí não há mais segredos.

"Tornedó com Vinho do Porto"

Nível de dificuldade:
Médio
Tempo de elaboração: 
40 min.

2 pessoas

 

Ingredientes:

400 g de lombo de vitela

Sal

Pimenta

2 a 3 colheres de sopa de azeite 

25g de manteiga

250ml de vinho do Porto

200 g de cenouras

200g de brócolos

300g de batatas para fritar

Óleo

Fio de algodão

Preparação:

Corte dois medalhões y ate-os com o fio de algodão para que mantenham a forma. Tempere todos os lados com sal y pimenta moída no momento. Aqueça água para cozer os legumes. Aqueça o azeite numa frigideira e comece a selar os medalhões, cerca de dois minutos de cada lado antes de lhes dar volta. A carne está bem selada quando estiver caramelizada por todos os lados. Coloque num tabuleiro, cubra e leve ao forno a 180º enquanto coze os legumes. Comece pelas cenouras baby que demoram três a quatro minutos desde que a água começa a ferver. Retire-as e coza os brócolos, cinco a dez minutos no máximo. Na frigideira onde selou a carne derreta a manteiga, junte o vinho do Porto e deixe reduzir ligeiramente. Assim que acabar de cozer os legumes, retire a carne do fornoe sem destapar deixe repousar dez minutos, para que os fluidos se distribuam uniformemente. Aqueça o óleo e frite as batatas colocando poucas de cada vez para que não fiquem encharcadas em gordura. Escorra-as sobre papel de cozinha e tempere com sal, retire o fio de algodão da carne e sirva imediatamente.

 

Carne e fruta

Na minha opinião a carne e a fruta combinam bem. Não me lembro quando experimentei pela primeira vez mas sou fã. Às vezes acompanho o peito de frango grelhado com maçã também grelhada, uma alternativa rápida e mais saudável às batatas fritas que adoro. Desta vez resolvi ir um bocadinho mais além e acompanhar o lombinho de porco com pera caramelizada e  salada. É muito simples e desenjoativo! 

"Lombinhos de Porco com Pera Caramelizada"

Nível de dificuldade:

Fácil

Tempo de elaboração:

40 min

4 pessoas

 

Ingredientes:

2 lombinhos de porco

Azeite

Sal

Pimenta

8 peras rocha

40g de manteiga

2 colheres de sopa de mel

60g açúcar amarelo

1 alface

1 cebola pequena

Preparação:

Unte os lombinhos com azeite e tempere-os com sal e pimenta. Cozinhe em lume médio numa frigideira durante quinze minutos, dando-lhes a volta de vez em quando. Coloque num tabuleiro com o suco da carne, tape e reserve no forno a 180º. Descasque as peras e retire os centros. Derreta a manteiga, junte o mel e o açúcar e coloque as peras cortadas em quartos. Cozinhe cerca de cinco minutos dando-lhes a volta para que fiquem douradas por igual. Retire os lombinhos do forno, corte em discos de 2 centímetros de espessura. Sirva imediatamente acompanhado de salada de alface e cebola.

Nota: Pode adicionar 30 ml de vinho do Porto às peras quando estiverem quase prontas deixando cozinhar uns minutos para reduzir ligeiramente o molho.

As costeletas da avó

Durante muitos anos a carne de porco era o que mais se consumia cá em casa. Fazia-se um aproveitamento total ou quase total do animal. Provavelmente é por essa razão que quase nunca a compro. Havia ocasiões à hora do jantar em que ao entrar na cozinha  me vinha logo o cheiro daqueles bifes ou costeletas que a minha avó estava a cozinhar um cheiro característico que não me desgostava e que depois confirmava ser do vinagre. Adicionando mais alguns ingredientes consegui reproduzir esse sabor recriando um molho espesso e desenjoativo bom para molhar o pão.

"Costeletas do Lombo com Molho de Pimento Vermelho"

Nível de dificuldade:

Fácil

Tempo de elaboração:

30 min

 

4 pessoas

 

Ingredientes:

4 costeletas do lombo

Óleo vegetal

400 g de batata para fritar

4 colheres de sopa de azeite

3 a 4 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto

1 pimento vermelho 

2 dentes de alho

1 folha de louro

1 malagueta ou piripiri

1 colher de chá de paprika

1 colher de chá de mostarda de Dijon

300 ml de caldo de carne

Sal

Pimenta

Preparação:

Lave o pimento, retire as sementes e corte em juliana bem fina. Descasque e esmague os alhos, coloque num tachinho  e junte duas colheres de azeite.Adicione a paprika, a mostarda, o sal, a pimenta, a folha de louro o pimento e a malagueta. Finalmente junte o caldo de carne e três colheres de sopa de vinagre. Aqueça em lume brando cerca de dez a quinze minutos para espessar o molho. Antes de retirar rectifique os temperos e se considerar necessário junte outra colher de vinagre. Descasque as batatas e corte em palitos e frite em óleo bem quente. Quando as batatas estiverem quase fritas coloque as costeletas num grelhador untado com um fio de azeite deixando-as cerca de três minutos de cada lado.

Sirva imediatamente.

Nota: Pode acompanhar também com palitos de batata doce assados no forno. Coloque uma folha de papel vegetal num tabuleiro, espalhe as batatas sem amontoar , não necessita descongelar se forem de compra, regue com um fio de azeite e polvilhe com ervas da Provença. Asse cerca de dez minutos em forno pré-aquecido.

Os bifes da Cervejaria Portugália

Há imagens que ficam gravadas na memória e uma delas é sem dúvida a do bife da Cervejaria Portugália na Avenida Almirante Reis, em Lisboa. O edifício com a sua arquitetura característica dos anos cinquenta vale bem a pena uma visita. A sala enorme com janelas em arco, as grades de ferro forjado, as imperiais que não provava mas que os meus pais bebiam em copos com o logotipo estampado... E o bife com ovo estrelado e batatas fritas, acompanhado de um molho servido em pratos de barro e quanto a mim espetacular! Às vezes tento lembrar-me do sabor do molho mas não consigo. Já experimentei outros mas ficam aquém da imagem que entretanto criei. Talvez o melhor que provei foi um com três pimentas, num restaurante na zona do teatro de São Carlos, infelizmente não sei se conseguiria encontrá-lo ou mesmo se ainda existe.

A receita que lhes apresento tem um sabor que não vai deixar ninguém indiferente além de que é extremamente simples. 

"Bife à Café"

Nível de dificuldade:

Fácil

Tempo de elaboração:

30 min

 

2 pessoas

 

Ingredientes:

2 bifes do lombo 

2 dentes de alho

25 g de manteiga

200 ml de nata light

1 café forte (40 ml)

Sal

Pimenta

400 g de batata

2 ovos

Azeite

Preparação:

Comece por aquecer o azeite. Assim que estiver quente coloque as batatas em pequenas quantidades para que fritem em menos tempo. Entretanto tempere um dos lados dos bifes com sal e pimenta. Derreta a manteiga numa frigideira, junte o alho esmagado e coloque os bifes com o lado temperado para baixo e frite ligeiramente durante dois a três minutos, dependendo do ponto em que prefere a carne. Antes de virar o bife volte a temperar com sal e pimenta, deixando-os dois a três minutos antes de retirar. Junte a nata, o café e o suco que escorreu dos bifes, envolva e retire do lume ao fim de dois ou três minutos. Retifique os temperos. Finalmente coloque um fio de azeite numa frigideira grande e coloque os ovos separados. Polvilhe com um pouco de sal grosso.

Se necessário aqueça o molho ligeiramente antes de servir, regue o bife e coloque o ovo de lado. 

Nota: Pode adicionar uns grãos de pimenta ao molho quando o está a confecionar. A quantidade de café depende do gosto de cada um. 

Mercados

Os mercados são sítios giros de visitar a animação e variedade de produtos é digna de se ver. Se for um mercado de um país árabe a visita ainda é mais interessante pelas cores e quantidade de artigos diferentes. As bancas das especiarias são o sítio que mais gosto de ver. A variedade e a forma como estão apresentadas é espectacular. A comida árabe utiliza uma série de especiarias que habitualmente não usamos e algumas nem conhecemos. A combinação de especiarias e a junção das passas torna a sua cozinha variada e apetecível. Aprendi esta receita num workshop de cozinha marroquina, mas decidi alterar o acompanhamento ao usar maçã grelhada, de preferência com um toque ácido, para obter um contraste mais acentuado com o resto do prato,

"Frango à Marroquina com Cuscuz e Maçã"

Nível de dificuldade:
Fácil
Tempo de elaboração:
50 min

4 pessoas

 

Ingredientes:

4 coxas de frango desossadas

2 cebolas médias

2 limões

40 ml de azeite

2 colheres de sobremesa de Ras el Hanout

1 colher de sobremesa de gengibre moido

1 colher de sobremesa de açafrão

1 colher de sobremesa de curcuma

1 colher de sobremesa de massa de alho

1 raminho de salsa

Água

Pimenta

Sal

1 copo de cuscuz

100 g de passas sultana dourada

4 maçãs Pink Lady

Preparação:

Exprema o sumo dos limões e coloque numa tijela com o frango e uma pitada de sal. Mexa o frango para misturar bem com o sumo e o sal. Reserve até usar. Pique as cebolas coloque com a massa de alho e o azeite num tacho e refogue até que a cebola fique transparente. Escorra o frango junte ao preparado e espere uns minutos antes de dar a volta para que fique dourado por todos os lados. Junte as especiarias e a salsa picada e adicione água até cobrir quase completamente. Tempere com sal e pimenta e deixe cozer durante quarenta e cinquenta minutos até que o caldo reduza um pouco.

Quando faltarem cerca de dez minutos para terminar, aqueça água até que esteja quase a ferver. Coloque o cuscuz numa tijela regue com um copo de água e tape com pelicula aderente, para hidratar.

Descasque as maçãs e corte em fatias de cerca de cinco milímetros. Unte um grelhador com azeite e quando estiver quente coloque as maçãs polvilhando-as com um pouco de sal. Asse em lume brando dando a volta de vez em quando.

Destape o cuscuz, regue com uma colher de sopa de azeite, tempere com um pouco de sal e pimenta. Mexa com um garfo para soltar bem e junte as passas.

Sirva quente.

Coelho para jantar...

Há umas semanas um caçador amigo ofereceu-me um coelho bravo com a condição de fazer um arroz e o convidar para jantar. A ideia do arroz não era propriamente a que eu tinha para o coelho. Não é carne que consuma habitualmente e das poucas vezes que o fiz sempre a tinha confecionado de outra forma. O tempo foi passando e o coelho começava a estorvar no congelador mais a mais com a pele para que a carne não secasse demasiado. Não podia continuar a adiar por isso descongelei o bicho e lá tive que o esfolar. Abençoados talhos e peixarias que nos “dão” as carnes e os peixes já preparados… Ao procurar a receita já tinha a ideia de que a mesma devia ser de um arroz malandrinho. Apesar de usar todos os ingredientes recomendados fiz pequenas alterações à medida que ia cozinhando e provando para equilibrar os sabores. É evidente que tinha uma alternativa preparada, não fosse o diabo tecê-las e ficasse sem nada para apresentar no jantar, mas no final deste pequeno banquete os convivas concordaram que o arroz malandrinho de coelho estava muito bom!

"Arroz de Coelho"

Nível de dificuldade:

Fácil

Tempo de elaboração:

12 horas + 60 min

4 pessoas

 

Ingredientes:

1 coelho limpo

300 ml de vinho tinto

3 dentes de alho

2 folhas de louro

350 g de arroz carolino

2 tomates maduros

1/2 pimento encarnado

1 cebola média

Azeite

Água

Sal

Pimenta

Piri piri (opcional)

Preparação:

Parta o coelho em pedaços e deixe a marinar com o vinho tinto, o alho e o louro, 12 horas no frigorífico. Pique a cebola, corte o pimento em cubos, descasque o tomate retire as sementes e corte-o em pedaços. Refogue em lume brando com um fio de azeite até a cebola ficar translucida. Junte água quente até mais de metade do tacho. Assim que começar a ferver adicione o coelho escorrido. Tape e deixe cozer cerca de quinze minutos antes de juntar o arroz, voltando a tapar. A meio da cozedura adicione parte do líquido da marinada. Tempere com sal, pimenta e piri piri. Sirva acabado de fazer acompanhado de uma salada de alface.

Se o arroz ficar seco junte um pouco mais do caldo da marinada ou água quente.